Jornal Riogastro


Publicado em 10/07/2018 às 09:00 por Prof. J.F. Penteado



SAL E OBESIDADE Modismo ou realidade? Base cientifica?

Nutricionistas celebradas nos EUA, as gêmeas Tammy e Lyssie acreditam ter encontrado no alto consumo do sódio, (sal de cozinha), o vilão invisível a ser derrotado por aqueles que querem emagrecer sem riscos de cair no famoso e terrível EFEITO SANFONA.

Conhecidas como as “gêmeas da nutrição” elas causaram um grande reboliço quando publicaram nos EUA, há cinco anos seu segundo livro, agora já lançado no Brasil, “DIETA ANTISSAL, QUATRO SEMANAS PARA EMAGRECER E TORNAR-SE MAIS SAUDAVEL”, que virou um “Best-Seller” colocando as irmãs no centro de uma querela entre especialistas da área e das indústrias alimentícias nos EUA.

A obra analisa uma série de dados oficiais para mostrar que os cidadãos desse país consomem mais sal do que deveria. De acordo com suas pesquisas, cerca de 75% do sal que os americanos ingerem vem dos alimentos prontos, em sua maioria produtos processados, mesmo o pão, os alimentos integrais e também do queijo cottage, hoje uma estrela alimentar de uso ilimitado para controlar o peso.

A promessa de um emagrecimento real em quatro semanas com a redução do sal, com o desinchar do corpo, com menos água acumulada e os  resultados visíveis apresentados em horário nobre pelos artistas e funcionários da NBC, que fechou uma parceria com a dupla, impulsionou a carreira das gêmeas, personal trainers e nutricionistas. Os números recentes da presença delas nas redes sociais impressionam: são 3,6 milhões de seguidores, únicos no Pinterest e 23 milhoes no Twiter.

A “dieta antissal”, defendem elas, oferece opções para uma reinvenção do comer de forma saudável com uma mudança paulatina do paladar. Aos poucos, garantem, as pessoas percebem que a maioria dos alimentos são saborosos sem a necessidade daquela pitadinha extra de sal antes de come-las.

As duas,estão torcendo para que seja lançado em português no Brasil o seu mais recente livro que tem o titulo de “veggie cure” que é centrado no poder dos vegetais na alimentação. Elas defendem suas teorias, afirmando que são contra qualquer tipo de privação alimentar, mesmo com uso de carboidratos e proteínas magras, o que se corta é o sal.

Essa dieta antissal foi elaborada baseada num estudo publicado em 2007 pela “obsesity research” que mostra que dietas ricas em sal estão diretamente ligadas ao aumento de células de gordura no corpo que aumentam sua densidade com o sal. Nosso corpo está preparado para lidar com 1500 a 2400 mg de sal/dia e hoje nos EUA o numero médio é de 4.OOO A 6.OOO mg /dia afetando o metabolismo e a capacidade de queimar gordura e reparar a perda muscular, alem de que o sal em excesso aumenta a sensação de fome. Esse consumo excessivo pode levar a uma retenção de até 4,5 kg de liquido extra, algo como 20 garrafas de água de 250 ml. Assim, mesmo que você não esteja acima do peso, vai parecer gordo e inchado. E no Brasil como anda o consumo de sal? O brasileiro consome em media 12 gr de sal por dia, quando o ideal seriam apenas 5 gramas. Este consumo excessivo está ligado a hábitos alimentares, equivocados que adquirimos ainda na infância.

Quem se propuser a fazer essa dieta antissal recomenda-se paciência e disciplina nessa mudança, já que as nossas papilas gustativas estão mal habituadas.

Para concluir é mais uma dieta, palavra maldita restritiva, quando devemos sempre falar e adotar não para uma DIETA e sim para uma REEDUCAÇÃO ALIMENTAR. É claro que o sal é um terrível vilão e antes de qualquer atitude para controla-lo procure seu medico ou sua nutricionista.

Referências: