Jornal Riogastro


Publicado em 12/03/2019 às 09:00 por Prof. J.F. Penteado



NOVIDADES CIENTIFICAS

1 – ESTEATOSE HEPATICA NÃO ALCOOLICA

Publicação recente da Revista Pharmacological  Research fez uma importante revisão acerca do papel da microbiota intestinal (flora intestinal) e a causa da gordura no fígado acima enumerada.

Segundo o artigo, essa gordura visceral do fígado, seria devida a 3 classes especificas de substancias sintetizadas ou modificadas pelas bactérias intestinais gerando daí 3 radicais: ácidos graxos de cadeia curta, catabolitos de amino, ácidos e ácidos biliares.

 Isso já nos faz alertar nessa outra etiologia quando não encontramos aumento dos lipídeos no sangue, obesidade ou aumento do perímetro abdominal nas pessoas que apresentam gordura visceral.

Fiquemos de olho nessa  nova hipótese diagnóstica.


2 – ESTES EXAMES DO CORAÇÃO PODEM ANTECIPAR OU SALVAR VIDAS
Um estudo do Centro Medico da Universidade Texas Southwestern analisando um grupo numeroso de pessoas saudáveis por 10 anos que se submeteu a exames mais específicos do que os tradicionais como pressão arterial e nível de gordura no sangue conseguiram assim verificar que esses diferentes exames foram capazes de saber quem era mais suscetível a doença cardíaca.

 Logo um grupo de pessoas que fuma, está acima do peso, tem historia familiar de doença cardíaca, não faz exercícios talvez se poderia beneficiar desses novos exames, sempre pedindo e procurando o medico cardiologista.

Esses exames seriam: Eletrocardiograma, verificar se as coronárias estão calcificadas, PCR, BNP, PROTO T.

3 – OS DANOS DO ALCOOL PODEM PERSISTIR NA RESSACA

 Pesquisas da Universidade de Bath na Inglaterra revelou que os efeitos do álcool podem se prolongar por vários dias por alteração hormonal e das citocinas.

 4 – MICROBIOS NO AEROPORTO

Pesquisadores de Helsinki intrigados com as infecções respiratórias em viajantes que tinham passado pelo aeroporto de Helsinki fizeram uma rastreamento aonde eles poderiam ter-se contaminado. Foi tudo negativo nos banheiros, recepção para vírus respiratórios e para surpresa deles a contaminação estava nas bandejas das áreas de segurança antes de passar pelos detectores de bagagem.

5 – LEGUMES E VERDURAS BAIXAM RISCO DE CÃNCER DE MAMA

Em dois grandes estudos analisados por cientistas da Harvard foi verificado que a ingestão de 5,5 porções de frutas, legumes e verduras foi capaz de reduzir em 11% a probabilidade da eclosão do câncer de mama. Parece que as crucíferas, (brócolis, couve flor e couve) e os amarelos, (cenoura, abobora), são  os mais fortes na prevenção.

Referências:

  • revisões publicadas na Seleções do Readers Digest, Janeiro 2019.
  • Prof. J.F. Penteado