Jornal Riogastro


Publicado em 08/08/2018 às 18:00 por Prof. J.F. Penteado



ESTEATOSE OU GORDURA VISCERAL Esteato-hepatite não alcoolica

Não podemos mais botar a culpa na bebida, pois, cerca de 1/3 da população dos países  desenvolvidos apresenta acumulo de gordura no fígado, doença que há décadas atrás, acometia principalmente os amantes da bebida alcoólica.

Hoje em dia os casos ligados a obesidade e ao diabetes predominam, e o que mais assusta os pacientes quando fazem um ultrassom abdominal é a grande frequência que aparece a esteatose hepática. O que realmente significa esse achado que aparece nas imagens é um  distúrbio metabólico das gorduras, atingindo as vísceras, especialmente o fígado, e menos frequentemente o pâncreas. Normalmente ela é  totalmente assintomática, praticamente inofensiva  e sendo quase sempre um achado nos exames de imagens.

Estima-se que 20% da  população dos obesos e 3 % das pessoas normais têm a doença.

Divide-se a esteatose de duas formas:

  1. Primarias: – obesidade – diabetes – aumento do metabolismo das gorduras.
  2. Secundarias – a medicamentos - produtos químicos - cirurgias intestinais - erros no metabolismo - causa desconhecida.

 Quanto ao fator causal  existem dois tipos:

  • Esteato hepatite não alcoólica;
  • Esteato hepatite alcoólica.

Isso já nos fala ou mostra que os 2 tipos apresentam as mesmas alterações e só se distinguem pelo fator causas e pela pouca gravidade da não alcoólica, diferente da gravidade pela pior evolução da álcool dependente.

Para podermos firmar o diagnostico da forma não alcoólica  temos que obedecer aos seguintes critérios:

  1. Historia ocasional ou negativa de ingestão alcoólica.
  2. Investigação negativa para as principais doenças crônicas do fígado, (virus B e C, álcool, doença autoimune, hemocromatose).
  3. Alterações histológicas comprovando a doença necessita de biopsia hepática.
  4. Exame de elastografia, (totalmente não invasivo), detectando os achados da doença.

De qualquer forma, como em todas as doenças, o diagnostico deve ser baseado na historia clinica, exame físico, exames complementares, (sangue, ultrassom, tomografia, ressonância magnética, elastografia).

Atualmente pela grande incidência do chamado fardo global da obesidade se faz uma estimativa  de que cerca 2,2 bilhões de pessoas ou 30% da população mundial têm  sobrepeso ou obesidade, sendo que no Brasil calcula-se  que 35% da população do país também estão nessa situação. O maior problema é que agora também 16,5% adolescentes já estão com sobrepeso. Face a todas esses aumentos nos níveis de obesidade a esteatose visceral vem aumentando assustadoramente, assim sendo, a prevenção a obesidade tem que iniciar na juventude.

TRATAMENTO:
Corrigir as causas básicas com orientação alimentar, medicamentos. Quanto aos medicamentos não há nenhum confiável e logo, só o emagrecer ajudará a retardar ou interromper  seu avanço. Assim sendo procure um medico e  um nutricionista.
 Lembrar sempre que o achado de esteatose o uso do álcool certamente irá agravar o quadro por sua toxicidade ao fígado

PROGNOSTICO:
Ainda pouco se sabe sobre as consequências da esteatose, aceitando-se que embora tenha uma evolução lenta e benigna, já se descreveram casos de cirrose e câncer hepático.  
De qualquer forma o aparecimento de esteatose é um aviso, um sinal que tem que haver uma mudança no rumo de vida e dos hábitos e é necessária  para ajudar a  evitar maiores problemas no futuro.

Para finalizar um cuidado muito importante para evitar uma serie de complicações, a chamada SINDROME METABOLICA,  que evita o diabetes, arteriosclerose e a esteatose, é a mensuração do perímetro abdominal que devera ser feita com a pessoa deitada ou em pé com o abdômen relaxado e deve se manter entre 84 /88 para as mulheres e 94/98  para os homens

Controlem seu peso e de seus filhos, este é um conselho da maior importância!

Referências:

  • J.F.Penteado, 2018
  • Junior, I.Z.e Mattos, A.A esteato hepatite não alcoólica, pg. 281
  • Compendio de hepatologia, 2a edição - Ângelo Mattos e Waldomiro Dantas S.P - Fundação Byk