Informes Em Destaque


Publicado em 09/04/2019 às 14:00 por Prof. J.F. Penteado



QUAL ADOÇANTE DEVO USAR?

Quando lançados os edulcorantes só eram usados para os diabéticos ou pessoas com restrição alimentar. Com o surgimento do flagelo da obesidade passou a fazer parte da vida de uma boa parte da população para evitar o açúcar e controlar o peso.

Aí começam as duvidas: qual e quando se pode usa-los, qual o mais adequado para mim?

Existem dois tipos de adoçantes os calóricos e os não calóricos. A unidade padrão é o açúcar refinado, o branquinho que tem menos da metade do poder adoçante do edulcorante. Vamos enumera-los:

  1. SACARINA SODICA – é o mais antigo e tem o maior poder adoçante, cerca de 300 vezes mais que a sacarose. Derivado do petróleo, contem sódio.
  2. CICLAMATO DE SODIO – também extraído do petróleo, poder adoçante de cerca de 30 vezes o açúcar, contem sódio. Muito utilizado com a sacarina nas bebidas liquidas, refrigerantes.
  3. ASPARTAME – sintético produzido a partir de dois aminoácidos, o acido Aspártico e a fenil alanina. Contraindicado nos portadores de fenilcetonuria. Adoça 180 vezes mais que o açúcar.
  4. ACESSULFAMEK –é um sal de potássio desdobrado a partir do acido acético, o nosso conhecido vinagre. Não pode ser usado pelos renais e com potássio alterado.
  5. STEVIA OU ESTEVIA –edulcorante natural. É 300 vezes mais doce que o açúcar, sabor amargo. Usado em associações com outros edulcorantes.
  6. SUCRALOSE – derivado da cana de açúcar, não tem efeitos cancerígenos, elevado poder adoçante.

ADOÇANTES CALORICOS:

  1. FRUTOSE – extraído das frutas e do mel. Contem 4 calorias por grama. Não usa-lo nos diabéticos e com alterações dos triglicerídeos. Adoça só 1.8
  2. XYLOL MANITOL E SORBITOL – são alcoóis do açúcar. Usado largamente pela indústria. Tem 4 calorias por grama. Podem possuir efeito laxativo.

Numa analise critica o bom senso aconselha usar adoçantes naturais, Sacarose, Estevia, Frutose e Sorbitol.

Como existem possibilidades cancerígenas do ciclamato, sacarina, aspartame, estes devem ser consumidos em doses baixas. Mas, se combinado com refrigerantes, sucos, bebidas que utilizam-se desses adoçantes, o cuidado deve ser redobrado.

Referências: